fbpx

Especialidades

Uso do botox na Odontologia

Botox: uso da toxina botulínica na Odontologia

A toxina botulínica ou como ficou conhecida “Botox” é muito utilizada para fins estéticos, mas você sabia que ela tem finalidades terapêuticas na odontologia?

Quando planejado por uma dentista especializado ela auxilia no tratamento ou controle de diversos problemas orais, como bruxismo e sorriso gengival, além deixar aquele sorriso mais bonito e simétrico.

O que é a toxina botulínica?

A toxina botulínica é uma substância retirada de duas bactérias Clostridium botulinum e Clostridium parabotulinum. Essa substância age paralisando a ação muscular e na dose correta ajuda em diversos tratamentos de saúde.

Com isso, a ação do Botox é temporária, ou seja, após um determinado período de tempo seu efeito se esgota e é necessário uma nova aplicação.

Sendo assim, vale ressaltar que quando executado por um profissional treinado e experiente o uso do Botox é altamente seguro e eficaz.

Benefício do Botox na Odontologia

 

1. Reduz a tensão muscular em casos de bruxismo

O excesso de tensão e força muscular aplicada nos dentes pode levar a que chamamos de bruxismo, ato de apertar ou ranger os dentes.

pessoa rangendo os dentes

 

Assim, pacientes com esta condição costumam queixar-se de:

  • Dores nas musculaturas da face e do pescoço
  • Dor de cabeça
  • Dificuldade para abrir ou fechar a boca
  • Desgaste dos dentes, podendo levar até a fraturas de dentes.

Neste caso o Botox ajuda a eliminar o problema do apertamento e desgaste dos dentes, além das dores de cabeça. Com isso,  é possível utilizar a substância para reduzir a tensão muscular e consequentemente a força que a musculatura da mandíbula faz.

2. Melhora o sorriso gengival e assimétricos

O sorriso gengival ou assimétrico é uma causa de baixa autoestima pois o paciente fica incomodado e com vergonha de sorrir.

A assimetria do sorriso ocorre por pequenas disfunções musculares, fazendo com que alguns músculos de um lado se contraiam mais do que do outro lado. Assim, faz com que o lábio se retraia de forma assimétrica causando um aspecto desarmônico.

Dessa forma, o sorriso gengival é uma queixa estética frequente dos pacientes que se incomodam que quando sorriem a gengiva fica aparecendo em excesso.

Existem diversas causas para essa condição e cada caso deve ser avaliado individualmente, por isso a importância de uma avaliação clínica detalhada para saber qual o melhor tratamento.

Um dos recursos existentes para reduzir o quanto o paciente mostra de gengiva ao sorrir é justamente é a partir do Botox. Com isso, o tratamento visa paralisar a musculatura responsável por levantar o lábio superior dos dois lados, tornando o sorriso mais harmônico, agradável e belo.

Por isso, diferente das técnicas cirúrgicas para correção do sorriso gengival, o Botox não é invasivo, não necessitando de tempo de recuperação pós-operatória.

Além disso, uma outra vantagem do procedimento é que ele é reversível, ou seja, depois de um tempo o efeito termina, isso possibilita que se o paciente não ficar satisfeito com o resultado não fica nenhuma alteração permanente.

3. Reduz as dores causadas pelas disfunções da ATM

As dores por disfunção de ATM (articulação temporomandibular) são bem características:

  • Dor na região dos maxilares, na face, na frente e “dentro dos ouvidos”
  • Rangido e estalos ao movimentar a boca ou ao mastigar
  • Zumbidos ou ruídos no ouvido
  • Rigidez na musculatura para abrir a boca logo pela manhã
  • Dores de cabeça

Dor no maxilar ao acordar

O tratamento com Botox não resolve o problema que levou a esta condição, simplesmente resolve os sintomas sentido pelo paciente gerando uma grande alívio, agindo como um complemento ao longo do tratamento.

Dessa forma, a redução da atividade e contratação da musculação reduz a partir da aplicação em pequenas doses na musculatura envolvida no mau funcionamento.

4. Botox é um método reversível, conservador e com efeito rápido

Como dito anteriormente essa é uma vantagem, pois o tempo de ação do Botox vai de 4 a 6 meses, dependendo do indivíduo.

Assim, caso o resultado não tenha sido o esperado pelo paciente basta aguardar que o efeito vai passar, não sendo necessário nenhum outro procedimento.

Considerado um procedimento conservador pois não envolve cirurgia. Isso porque utiliza-se somente uma agulha para aplicação da substância na musculatura envolvida.

Dessa forma, a recuperação é bem rápida com poucas ou nenhumas complicações. As complicações mais comuns são dor de cabeça,  pequeno inchaço e hematoma no local da aplicação que tende a desaparecer após alguns dias.

Em geral já é possível se perceber o resultado após 48 a 72 horas da aplicação.

Entendeu como a Odontologia utiliza o Botox? Deixe nos comentários sua dúvida. Para mais texto como esses acesse o nosso blog. Não se esqueça,  para um tratamento seguro e eficaz escolha um profissional especializado. Agende sua consulta conosco via Whastapp.

 

O que é Prótese Dentária?

O que é prótese dentária?

Prótese dentária é a especialidade da odontologia que tem como objetivo a reconstrução dos dentes parcialmente destruídos ou a reposição de dentes ausentes visando ao paciente a função, a saúde, o conforto e a estética.

As próteses podem ser removíveis ou fixas repondo um único dente, parciais ou total e podem ser apoiadas em raízes, dentes, implantes ou na gengiva. O material utilizado para a confecção das próteses pode variar podendo ser: metal, resina, cerômero, metalo-cerâmica ou porcelana.

Tem a finalidade de melhorar a fala, mastigação além de proporcionar uma melhor estética e harmonia através da correção dos problemas causados pela falta de dentes,  muito desgastados ou mal posicionados.

Tipos de próteses mais comuns:

Os tratamentos restauradores mais comuns são:

  • Prótese tipo Protocolo
Prótese protocolo superior
Prótese protocolo superior

Uma prótese tipo protocolo é uma prótese dentária implante-suportada que está apoiada e fixada aos implantes (dentadura fixa). Normalmente são utilizada em torno de 6 implantes planejados para distribuir as forças da mastigação pela maxila ou mandíbula.

Este tipo de prótese fornece um bom suporte para lábios e bochechas e não pode ser removida pelo paciente proporcionando uma maior estabilidade e sensação de conforto.

Overdenture inferior
Overdenture inferior

Uma overdenture (sobredentadura) é uma dentadura implante-suportada, ou seja, é suportada e retida pelos implantes, a overdenture tem os acessórios especiais que a prende no acessório dos implantes e possibilita que o paciente possa remover para higienização.

Overdentures geralmente são feitas para a mandíbula inferior porque dentaduras convencionais tendem a ser menos estável nesta região.

  • Prótese Parcial Fixa
Prótese parcial fixa
Prótese parcial fixa

Uma ponte é usada para repor uma área edêntula (espaço onde os dentes foram perdidos por cáries ou trauma), geralmente conectado a restaurações fixas em dentes adjacentes. Os dentes usados para apoiar a ponte são chamados de pilares. A parte da ponte que substitui um dente ausente e une os pilares é conhecida como um “pôntico”. Para vários dentes perdidos, alguns casos podem ter vários pônticos.

  • Prótese Parcial Removível
Prótese parcial removível
Prótese parcial removível

Este tipo de prótese dentária é referido como uma prótese parcial removível porque os pacientes podem removê-la e reinseri-la quando necessário sem ajuda profissional. Os dentes de substituição em uma prótese parcial são geralmente ligados a uma base em resina que está conectado à estrutura metálica que manterá a dentadura no lugar quando colocada dentro da boca do paciente. As próteses parciais removíveis são eficazes, não apenas para preencher as lacunas criadas por falta de dentes, mas também impedem que os dentes naturais remanescentes se afastem da posição

  • Prótese Total
Prótese Total
Prótese Total

Prótese total ou dentadura são dispositivos protéticos construídos para substituir dentes perdidos. Elas são suportados pelos tecidos moles e duros circundantes da cavidade oral. As próteses convencionais são removíveis.

  • Coroas e Facetas
Faceta em porcelana
Faceta em porcelana

Uma coroa é um tipo de restauração dental que cobre ou circunda um dente ou implante dentário, podem ser feitas a partir de muitos materiais, que normalmente são fabricados usando métodos indiretos. Coroas são muitas vezes necessárias quando uma grande cavidade ameaça a saúde de um dente, são frequentemente usadas para melhorar a força ou a aparência dos dentes.

A faceta dental é uma camada de material colocado sobre um dente anterior para melhorar a estética de um sorriso ou proteger a superfície do dente de danos.

Conclusão

Abordamos neste post introdutório alguns tratamentos que o especialista em prótese dentária pode oferecer para a reabilitação e o bem-estar do paciente. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.

O que é Periodontia?

O que é Periodontia?

 

Periodontia é a especialidade da odontologia responsável pelo diagnóstico, prevenção e tratamento das doenças dos tecidos de suporte e proteção dos dentes (tratamento da gengiva e osso).

Consulta ao periodontista

 

Durante a primeira visita, o periodontista geralmente revisa as histórias médicas e odontológicas completas do paciente. É extremamente importante para o periodontista saber se alguma medicação está sendo tomada ou se o paciente está sendo tratado por qualquer condição que possa afetar o tratamento periodontal, como doenças cardíacas, diabetes ou gravidez.

Sondagem periodontal
Sondagem periodontal

O periodontista examina as gengivas, verifica se há alguma recessão do nível da gengiva e verifica os dentes para ver se algum tem mobilidade. O periodontista também tomará um pequeno instrumento de medição chamado sonda milimetrada e medirá a profundidade dos espaços entre o dente e a gengiva, conhecidos como bolsas periodontais. Isso ajuda o periodontista a avaliar a saúde das gengivas. Raios-X também são utilizados para observar a condição do osso.

Na gengivite a inflamação está localizada somente na gengiva. As doenças periodontais podem causar reabsorção do osso de suporte ao redor do dente levando a mobilidade dentária e até a perda do dente. As doenças periodontais são preveníveis com uma cuidadosa higienização, tratamento regular profissional e acompanhamento.

 

Retração gengival
Retração gengival

 

Existem diversos tratamentos para as doenças periodontais, desde controle da placa bacteriana até técnicas cirúrgicas. A raspagem é tipicamente o primeiro passo no tratamento e controle das bactérias e toxinas que causam a doença. Terapia medicamentosa em conjunto com as raspagens podem ser recomendadas.

Quem deve ir a um Periodontista?

 

Doença Periodontal
Doença Periodontal

Os procedimentos básicos de alguns pacientes podem ser administrados pelo dentista geral. No entanto, à medida que mais e mais pacientes estão exibindo sinais de doença periodontal, juntamente com pesquisas que sugerem uma relação entre a doença periodontal e outras doenças crônicas do envelhecimento, tratamento periodontal pode exigir uma maior compreensão e maior nível de especialização.

Os pacientes que apresentam níveis moderados ou graves de doença periodontal, ou pacientes com casos mais complexos, serão melhor acompanhados por um o periodontista.

É importante acompanhamento profissional regular porque se não, sem tratamento a doença periodontal aumenta em gravidade. Para manter sua gengiva sadia, nós podemos recomendar consultas mais frequentes. Você é um indivíduo, portanto, seu tratamento também é único, necessitando de planos de ação específicos para obter e manter a saúde periodontal.

Conclusão

 

Abordamos neste post introdutório alguns tratamentos que o especialista em periodontia pode oferecer para a manutenção da saúde periodontal e o bem-estar do paciente. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.

O que é Ortodontia?

O que é Ortodontia?

 

Ortodontia é a especialidade da odontologia que diagnostica, previne e corrige o mau posicionamento dentário (maloclusão) e deformidades faciais para obter e manter relações oclusais normais em harmonia funcional, estética e fisiológica com as estruturas faciais.

Braquetes porcelena
Braquetes porcelena

O que é Maloclusão?

 

Paciente com mordida aberta
Paciente com mordida aberta

Maloclusão seria uma relação de contato incorreta entre os dentes superiores e/ou inferiores, tais como, dentes tortos e desarmonia entre as arcadas. Estes problemas podem facilitar o aparecimento de cáries, doenças periodontais, desgaste acelerado dos dentes, problemas na mastigação, alterações na fala, dor na ATM, dores de cabeça.

As deformidades faciais necessitam de um tratamento conjunto com cirurgia, corrigindo desarmonias e assimetrias. Podem ter origens hereditária, hábito de chupar dedo, chupeta, perda precoce de dentes decíduos, entre outros fatores.

Diagnóstico e plano de tratamento

 

Modelo de estudo ortodôntico
Modelo de estudo ortodôntico

Somente o ortodontista, após um diagnóstico com o histórico médico, dentário e radiográfico, fotos e modelos em gesso, poderá definir e planejar o tipo de tratamento necessário, podendo ser aparelhagem fixa (metálico ou porcelana) ou móvel.

No diagnóstico e planejamento do tratamento, o ortodontista deve:

  • reconhecer as diversas características de uma má oclusão ou deformidade dentofacial;
  • definir a natureza do problema, incluindo a etiologia, se possível;
  • conceber uma estratégia de tratamento baseada nas necessidades e desejos específicos do indivíduo;
  • apresentar a estratégia de tratamento ao paciente de tal forma que o paciente compreenda completamente as ramificações de sua decisão.

Tipos de aparelhos ortodônticos

 

Tipos de braquetes ortodônticos
Tipos de braquetes ortodônticos

Aparelhos dentários são dispositivos usados em ortodontia para alinhar e endireitar os dentes em relação a oclusão (mordida) de uma pessoa. Eles são usados para corrigir maloclusões, como sobremordidas, mordidas abertas, mordidas profundas, mordidas cruzadas, dentes tortos. Os braquetes podem ser metálicos ou estéticos.

Aparelhos dentários são frequentemente utilizados em conjunto com outros aparelhos ortodônticos para ajudar de forma auxiliar na correção de outras deficiências.

Os braquetes tradicionais metálicos são de aço inoxidável, são o tipo o mais comum de braquetes. Estes braquetes têm um suporte onde elásticos prendem o arco ortodôntico ao aparelho.

Braquetes estéticos servem como uma alternativa aos braquetes metálicos, misturando-se mais com a cor natural dos dentes, deixando-os menos visíveis. Normalmente estes suportes são feitos de porcelana ou resina e funcionam de forma semelhante aos braquetes metálicos. Elásticos claros e arcos estéticos estão disponíveis para serem usados para ajudar a manter os aparelhos menos visíveis.

Conclusão

 

Abordamos neste post introdutório algumas das informações básicas que o especialista em ortodontia utiliza para oferecer o melhor tratamento e bem-estar ao paciente. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.

O que é Implantodontia?

O que é Implantodontia?

 

Implantodontia é a especialidade que tem como objetivo a colocação cirúrgica de um material em titânio que fará a função de uma raiz artificial no osso, destinado a suportar próteses unitárias, parciais ou removíveis e próteses totais, para isso é necessário gengiva saudável e osso adequado.

Implante dentário
Implante dentário

Indicado para substituir dentes que foram perdidos por cáries ou fraturas e não haja algum tipo de infecção local. A base para implantes dentários modernos é um processo biológico chamado osseointegração, no qual materiais como o titânio formam uma ligação íntima ao osso.

Etapas para instalação de implantes

 

O período de integração ao osso é variável, em média de 4 a 6 meses é uma boa estimativa. Uma vez aderido ao osso formam uma unidade capaz de substituir um dente (implante unitário) ou todos os dentes de uma arcada (próteses protocolo ou overdenture). Em alguns casos é possível a realização de implante com carga imediata (a prótese é instalada no mesmo dia da cirurgia).

Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizada

A posição dos implantes é determinada pela posição e ângulo dos dentes adjacentes, por simulações de laboratório, pela tomografia computadorizada e guias cirúrgicos. Os pré-requisitos para o sucesso a longo prazo de implantes dentários osseointegrados são osso saudável e gengiva.

Enxerto ósseo
Enxerto ósseo

Uma vez que ambos podem atrofiar após a extração dos dentes, procedimentos pré-protéticos, como levantamento de seio maxilar ou enxertos gengivais, às vezes são necessários para recriar o osso ideal e gengiva.

Conclusão

 

Abordamos neste post introdutório algumas das informações básicas que a especialidade de implantodontia pode oferecer numa reabilitação ao paciente em busca de uma melhor saúde e bem-estar. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.

O que é Endodontia?

O que é Endodontia?

 

Endodontia é a especialidade que tem como objetivo a preservação do dente por meio do diagnóstico preservação e tratamento das alterações da polpa.

Raio-X de dente tratado endodonticamente
Raio-X de dente tratado endodonticamente

Tratamento endodôntico ou tratamento de canal, como é mais conhecido, é um dos tratamentos mais comumente realizados pelo endodontista, permitindo a você preservar este dente que de outra forma seria extraído, tendo, então, o nervo e todo o conteúdo da polpa removido e o local obturado. Outros tratamentos realizados são: tratamento de trauma dental, tratamento de dentes rachados, retratamento endodôntico e cirurgias.

Após o tratamento de canal, o dente usualmente precisará de um tratamento restaurador, como uma restauração em resina, bloco ou coroa para protegê-lo.

Polpa dentária

 

Polpa dentária
Polpa dentária

Dentro de cada dente existe a polpa dentária que se estende por condutos físicos por todo o dente até a ponta da raiz. A polpa traz os nutrientes e inerva o dente, constituída por tecido nervos, vasos sanguíneos e outras células). Quando o dente sofre um trauma ou está com alguma cárie profunda, está polpa pode ficar comprometida, causando infecção, dor, abscesso, alteração de cor e outras complicações.

Tratamento endodôntico

 

O tratamento endodôntico ou tratamento de canal é uma sequência de tratamento para a polpa infectada de um dente que resulta na eliminação da infecção e no selamento do dente descontaminado de futura contaminação microbiana.

Tratamento endodôntico
Tratamento endodôntico

A terapia endodôntica resulta na remoção da polpa dentária, instrumentação, limpeza e descontaminação dos canais radiculares com pequenos instrumentos chamados de limas endodônticas e soluções de irrigação para limpeza. Por fim faz-se a obturação (preenchimento) dos canais descontaminados. A obturação dos canais limpos e descontaminados é feito com um material inerte (gutapercha) e tipicamente um cimento.

Conclusão

Abordamos neste post introdutório alguns tratamentos que o endodontista pode oferecer na recuperação de dentes, que antigamente acabariam sendo extraídos, em busca de um bem-estar ao paciente. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.

O que é Cirurgia Bucomaxilofacial?

O que é Cirurgia Bucomaxilofacial?

 

Cirurgia Bucomaxilofacial é a especialidade da odontologia que trata cirurgicamente de doenças na cavidade bucal, face ou pescoço, em casos de traumatismos, deformidades faciais, alterações de desenvolvimento (prognatismo e micrognatismo).

A face, por ser uma das partes do nosso corpo de alta complexidade, há um profissional especializado em diagnosticar e tratar. Por exemplo, quando o paciente sofre um trauma na face ocasionando alguma fratura em decorrência de algum acidente automotivo, esportivo, o profissional responsável que irá tratar e acompanhar o paciente é justamente o cirurgião bucomaxilofacial.

Abaixo temos algumas outras situações que o cirurgião bucomaxilofacial trata com excelência.

Procedimentos cirúrgicos

 

Os tratamentos podem ser realizados no complexo craniomaxilofacial: boca, mandíbulas, face, pescoço e crânio, e incluem:

Cirurgia dento-alveolar (cirurgia para remoção de dentes impactados, extrações de dentes difíceis, extrações em pacientes medicamente comprometidos, enxerto ósseo ou cirurgia pré-protética para proporcionar melhor anatomia para a colocação de implantes, próteses dentárias ou outras próteses dentárias)

Cirurgia corretiva da maxila / mandíbula (cirurgia ortognática); correção cirúrgica de assimetria facial.

Traumatismo de tecidos moles e duros da região oral e maxilofacial (fraturas de mandíbula, fraturas ósseas da bochecha, fraturas nasais, fratura de LeFort e fraturas de crânio)

Em consultórios podem ser realizadas as cirurgias menores, sob anestesia local, como por exemplo, exodontias de dentes inclusos, lesões periapicais, implantes dentários, aumento de volume na gengiva, correções cirúrgicas para adaptação de próteses.

Em ambiente hospitalar são realizadas as cirurgias de grande porte sob anestesia geral, tais como, cirurgia ortognática, fraturas faciais e grandes tumores.

Dente do Siso

 

Dentes do siso impactados
Dentes do siso impactados

O dente do siso geralmente erupciona entre o final da adolescência e o início da vida adulta, entre os 16 e 20 anos de idade. É o equivalente ao terceiro molar e último dente a nascer.

Dente do siso com pericoronarite
Dente do siso com pericoronarite

Como são os últimos dentes permanentes a aparecer, muita das vezes ocorre falta de espaço para um correto posicionamento na arcada. Isso pode fazer com que o dente do siso fique incluso (preso embaixo do osso) ou impactado (preso total ou parcialmente embaixo da gengiva), podendo causar inchaço, dor e infecção local.

Recomenda-se que as pessoas entre 16 e 19 anos tenham seus dentes do siso avaliados para verificar se precisam ser extraídos, pois nessa idade as raízes ainda não estão totalmente desenvolvidas, causando menos complicações para serem removidos, sendo uma extração mais simples.

Conclusão

Pensar em realizar alguma cirurgia na boca e/ou face é sempre assustador para a maioria dos pacientes, mas graças a esses profissionais especializados e técnicas cada vez menos invasivas tem proporcionado um maior conforto tanto durante o procedimento quanto no pós-cirúrgico. Possibilitando uma recuperação e retorno as atividades normais num prazo menor.

Abordamos neste post introdutório a importância e alguns tratamentos que o cirurgião bucomaxilofacial pode oferecer para a manutenção da saúde e bem-estar do paciente. Em posts futuros serão abordados estes e outros temas em detalhes.

Se você gostou e quer saber mais sobre esse ou outros assuntos, deixe seu comentário aqui em embaixo que abordaremos num post futuro.

Compartilhe também suas dúvidas e sugestões. Não deixe de conferir outros conteúdos aqui no blog.